pixel facebook

Blog de Marketing Digital da WE3

Acompanhe as novidades de marketing digital, gestão de redes sociais e mídias digitais em nosso blog. Confira nossas últimas postagens.

Assine nossa newsletter e receba nossas atualizações em sua caixa de e-mail.

Você é daqueles que adora ou detesta receber áudios no WhatsApp? A pergunta vem com base em comportamentos dos brasileiros ao utilizar essa rede social, que faz parte de nosso dia a dia. Em um levantamento feito pela Exame em parceria com a plataforma de serviços digitais MindMiners, 100% dos entrevistados dizem acessar o WhatsApp diariamente. Para se ter uma ideia, as porcentagens para outras redes sociais são menores: Youtube 88%, Facebook 86%, Instagram 83%. E essas seguidas pelas menos mencionadas: Twitter 37%, TikTok 28% e Linkedin 27%. No WhatsApp, muitas vezes, enviamos áudios quando não podemos digitar, para explicar assuntos mais complexos ou por simples preferência. Lançado em 2009, o aplicativo teve sua função áudio habilitada apenas em 2013. Mas essa função divide opiniões. Existem aqueles que adoram essa reprodução da comunicação oral e os que detestam ter que parar para ouvir a fala de alguém ao invés de simplesmente ler mensagens. Afinal, qual a etiqueta para WhatsApp entre os brasileiros? Vamos a alguns números que nos darão uma ideia sobre isso. Áudios do WhatsApp caíram são o gosto da maioria dos brasileiros De acordo com a mesma pesquisa, de fato, áudios do WhatsApp caíram no gosto da maioria dos brasileiros. 56%...

Investir em anúncios online durante a pandemia da Covid-19 se tornou um desafio para as empresas. O vírus, seus impactos econômicos e sociais frearam investimentos em marketing digital. Por outro lado, com o isolamento, as pessoas passaram a ter mais tempo para consumir conteúdo online. O desejo de manterem-se conectadas e informadas aumentou muito o número de impressões sobre anúncios, especialmente via mobile. Ao mesmo tempo, o custo por essas impressões diminuiu ao redor do mundo, justamente pelos menores investimentos. Isso quer dizer que houve uma queda no CPM, custo por mil impressões. Essa é a sigla para a métrica de desempenho relativa ao custo cobrado quando os anúncios são exibidos mil vezes. A boa notícia é que essa queda gerou oportunidades para que pequenas e médias empresas anunciem por custos mais baixos. Primeiras semanas da pandemia de Covid-19: menos gastos com anúncios Com o avanço da pandemia de Covid-19, muitas empresas deixaram de comunicar. Em 8 semanas de isolamento no Brasil, de meados de março a meados de maio, houve uma queda de 34% no número de anúncios. Muitas empresas consideravam que veicular campanhas naquele momento era arriscado para sua imagem. E essa postura, em parte, ainda persiste. Contudo, no momento atual, a...

Muitos dizem que o passado é a maior fonte de lições. Mas será que, no caso desta crise 2020, é realmente possível se espelhar nele para prever suas consequências? O que sabemos é que vivemos um contexto praticamente inédito. Mesmo assim, não é preciso procurar muito para encontrar comparações com a crise 2008 que, na maior parte das vezes, são simplistas. Neste texto, vamos entender um pouco por quais motivos. Todos estão enfrentando imensos desafios neste ano. As pessoas em seu dia a dia, com suas finanças. As empresas tentando driblar as consequências iniciais da crise e se preparar para as futuras. Esses desafios não são familiares para ninguém, por isso, demandam soluções inéditas. E, para as empresas, adequar-se às demandas do consumidor é algo a ser feito com muito mais rapidez e dedicação do que antes considerado. Contexto da crise de 2020: uma visão abrangente Partindo de uma visão macro, sabemos que cada local está conseguindo lidar de determinada maneira com a crise 2020 e suas consequências. Sejam países ou regiões de países, os níveis de desenvolvimento influenciaram muito, em um primeiro momento, no combate ao vírus. E o mesmo já está acontecendo com relação às suas consequências econômicas. Em locais de...