pixel facebook

Mercado

Investir em anúncios online durante a pandemia da Covid-19 se tornou um desafio para as empresas. O vírus, seus impactos econômicos e sociais frearam investimentos em marketing digital. Por outro lado, com o isolamento, as pessoas passaram a ter mais tempo para consumir conteúdo online. O desejo de manterem-se conectadas e informadas aumentou muito o número de impressões sobre anúncios, especialmente via mobile. Ao mesmo tempo, o custo por essas impressões diminuiu ao redor do mundo, justamente pelos menores investimentos. Isso quer dizer que houve uma queda no CPM, custo por mil impressões. Essa é a sigla para a métrica de desempenho relativa ao custo cobrado quando os anúncios são exibidos mil vezes. A boa notícia é que essa queda gerou oportunidades para que pequenas e médias empresas anunciem por custos mais baixos. Primeiras semanas da pandemia de Covid-19: menos gastos com anúncios Com o avanço da pandemia de Covid-19, muitas empresas deixaram de comunicar. Em 8 semanas de isolamento no Brasil, de meados de março a meados de maio, houve uma queda de 34% no número de anúncios. Muitas empresas consideravam que veicular campanhas naquele momento era arriscado para sua imagem. E essa postura, em parte, ainda persiste. Contudo, no momento atual, a...

Muitos dizem que o passado é a maior fonte de lições. Mas será que, no caso desta crise 2020, é realmente possível se espelhar nele para prever suas consequências? O que sabemos é que vivemos um contexto praticamente inédito. Mesmo assim, não é preciso procurar muito para encontrar comparações com a crise 2008 que, na maior parte das vezes, são simplistas. Neste texto, vamos entender um pouco por quais motivos. Todos estão enfrentando imensos desafios neste ano. As pessoas em seu dia a dia, com suas finanças. As empresas tentando driblar as consequências iniciais da crise e se preparar para as futuras. Esses desafios não são familiares para ninguém, por isso, demandam soluções inéditas. E, para as empresas, adequar-se às demandas do consumidor é algo a ser feito com muito mais rapidez e dedicação do que antes considerado. Contexto da crise de 2020: uma visão abrangente Partindo de uma visão macro, sabemos que cada local está conseguindo lidar de determinada maneira com a crise 2020 e suas consequências. Sejam países ou regiões de países, os níveis de desenvolvimento influenciaram muito, em um primeiro momento, no combate ao vírus. E o mesmo já está acontecendo com relação às suas consequências econômicas. Em locais de...

As incertezas geradas pela pandemia de Covid-19 exigem estratégias. Por isso, devemos nos perguntar sobre o que vem depois. Neste texto, apresentamos 3 horizontes possíveis para que empresas e marcas possam delinear suas ações. Eles são resultado de pesquisas e projeções da Nielsen. Suas hipóteses partiram de dados sobre o comportamento do consumidor europeu e foram aplicadas nos mercados da China e Coreia do Sul. Isso porque esses países estão mais avançados no cronograma da pandemia, saíram há algum tempo do isolamento e já vivem o chamado “novo normal”. O novo comportamento do consumidor é a chave para projetar horizontes Justamente com o intuito de projetar horizontes, muitos analistas acabam estabelecendo comparações do momento atual com as consequências da crise financeira de 2008. Porém, as duas situações são muito diferentes. Em 2008, não havia milhares de pessoas morrendo diariamente, milhões trancadas em casa indefinidamente e negócios não eram obrigados a fechar suas portas. Por isso, a pesquisa ressalta que o novo comportamento do consumidor é a chave para projetar o que acontecerá com os mercados depois da pandemia de Covid-19. Agora, o mundo está sendo recalibrado e os hábitos de consumo estão acompanhando esse ritmo acelerado de mudanças. Transformações que, em condições normais,...

A pandemia de Covid-19 exige novas estratégias. Vivemos um clima de instabilidade, o que tem gerado mudanças drásticas em hábitos pertencentes a diferentes partes de nossas vidas. Dessas, as duas mais afetadas certamente são saúde e trabalho. Estratégias de marketing resiliente à Covid-19 Além dos riscos trazidos pela disseminação do vírus, a incerteza e a necessidade de isolamento social frearam a economia ao redor do mundo. Isso tornou esta fase muito delicada para as finanças da maioria das pessoas. Consequentemente, o comportamento do consumidor não é mais o mesmo que o de há seis meses atrás. Isso obriga empresas e marcas a reverem suas estratégias de marketing para a pandemia de Covid-19. Esta é a hora de planejar e tomar algumas ações. Ainda é tudo muito novo e incerto, por isso, fazer previsões definitivas agora seria equivocado. Mas, com base no que temos vivido, podemos delinear as bases de novas estratégias para empresas ou marcas que as tornem capazes de se adequar a um novo cenário e a um novo comportamento do consumidor, que ainda deve perdurar. Afinal, uma estratégia de marketing também pode ser resiliente e se adaptar às adversidades, com o intuito de tirar os melhores resultados possíveis da situação. Entender as...

Ficar em casa por conta da Covid-19 transformou o comportamento do consumidor. Este momento de quarentena não é algo definido, assim como o que virá depois. Dessa forma, vivemos uma fase de grandes incertezas, já que não sabemos o que acontecerá amanhã. Nestas condições, a capacidade de adaptação torna-se nosso maior trunfo. E esse lema serve também para o marketing das empresas e marcas. O consumidor e sua nova fase Vamos partir de uma visão mais ampla sobre o que, em geral, acontece com o comportamento das pessoas em isolamento social. Com a diminuição das atividades fora de casa, o tempo que era escasso se tornou mais fluido. Passamos mais tempo sozinhos, com nossa família ou dentro de nossas cabeças. Isso dá margem para sentimentos como o tédio, a ansiedade e a incerteza inerente ao momento. Por isso, sentimos necessidade de buscar mais formas de nos mantermos ocupados. Pelos dados de pesquisas Google durante a pandemia, podemos dizer que temos tentado nos adaptar à situação por meio de informações sobre: - A Covid-19 e suas implicações à saúde e ao dia a dia. - Mudanças no trabalho e na economia. - Bem-estar e conexões com a comunidade. - Segurança financeira e renda extra. - Aprendizado e cursos online. -...

Fez uma pesquisa Google e clicou nos primeiros resultados? Por que? Porque eles possuem maior credibilidade. Toda empresa deseja estar entre os primeiros resultados numa pesquisa relacionada ao seu mercado. E para que isso seja conquistado, é necessária uma boa estratégia de marketing digital. Alguns números sobre o Google Atualmente, não se pode desprezar a forte presença do Google na vida de quase toda população. Por isso mesmo, ele também é um dos principais meios para uma empresa ser vista, procurada, lembrada. E existem formas de potencializar essa visibilidade, alcançando os primeiros resultados. Essas variáveis são trabalhadas numa boa estratégia de marketing digital. Estima-se que sejam realizadas 5,5 bilhões de buscas diárias no Google, algo em torno de 63 mil buscas por segundo. Dessa forma, temos essa quantidade enorme de pesquisas e outra quantidade enorme de possibilidades para os resultados. O próprio Google possui mecanismos para oferecer buscas mais assertivas, de acordo com o perfil dos usuários, filtrando por região, por exemplo. Porém, apenas esses mecanismos não são suficientes para a uma boa visibilidade ou para gerar leads. É preciso se diferenciar no meio de tantas possibilidades e concorrentes. Atualmente, isso requer a aplicação de ferramentas específicas que otimizam seu site nas buscas do...

Primeiramente, vamos definir o que é Comarketing. Sempre gostamos de começar com a definição dos termos em nosso blog. Comarketing é uma estratégia de marketing compartilhado. Assim, imagine duas empresas, ou duas marcas, que tem um público-alvo em comum e produtos complementares. Portanto, elas podem traçar ações comerciais em conjunto, para aumentar suas vendas para seu público-alvo. Comarketing também pode ser chamado de Marketing Compartilhado. Exemplos de ações de Marketing Compartilhado Muitas grandes empresas já fizeram ações de comarketing, sobretudo as de varejo. A Vivo é uma das empresas que mais utiliza ações de comarketing. Um exemplo antigo é o acesso ao Whatsapp sem consumo de banda para clientes da Vivo. Outro exemplo recente é o acesso à Amazon Prime Video através dos celulares da Vivo. Outro segmento que utiliza bastante o comarketing são as companhias aéreas. Veja o caso da Gol, por exemplo. Logo na página inicial do site, você não vê apenas uma ação em conjunto. Mas quatro! A Gol faz parcerias com o Boooking.com, a Localiza Hertz, a Sulamerica e a rentcars.com. Outras duas empresas campeãs em ações em conjunto são o McDonald's e o Burger King. Não entre eles, obviamente :) Então, veja um exemplo de uma ação do McDonald's...

Certamente você já deve ter parado para pensar: como estou me saindo em relação à concorrência? Esse é um questionamento muito comum e que deve ser feito continuamente para promover novos aprendizados e identificar possíveis melhorias. Assim, não importa o tamanho da sua empresa. Fazer uma análise aprofundada sobre as melhores práticas do mercado é fundamental para melhorar seus resultados. É aí que entra o benchmarking, bastante usado por equipes de comunicação e marketing de grandes empresas no diagnóstico preliminar ao realizar um planejamento de Marketing. Nada mais é do que escolher e analisar ações eficazes de empresas que sirvam de padrão comparativo para sua própria empresa ou concorrentes, com o objetivo de encontrar iniciativas que possam melhorar a visibilidade e posicionamento da sua marca. Aprenda com os erros e acertos dos outros Sabe aquele ditado que diz: “A grama do vizinho é sempre mais verde?” Certamente podemos responder: tudo depende do seu ponto de vista, das suas necessidades e expectativas. Nem tudo que a concorrência faz é bom para o seu negócio. O benchmarking é uma ferramenta eficiente para promover insights e oferecer a possibilidade de corrigir o que não está funcionando. O mais importante é usar os dados obtidos no monitoramento,...

Muitas empresas, geralmente nos primeiros passos do Marketing Digital, ficam na dúvida sobre contratar uma agência de marketing digital ou montar um time interno. Embora a contratação de uma equipe interna passe uma sensação maior de controle e economia, essa pode não ser o melhor para o seu negócio. Listamos 10 motivos para mostrar por que contratar uma agência de marketing digital é uma escolha mais assertiva para o seu negócio: 1. Foco em gerenciar o seu negócio Optar por gerenciar você mesmo o marketing digital de sua empresa significa abdicar do tempo que você usaria para gerenciar e expandir o seu negócio. Montando uma equipe, você gastaria meses em capacitação. Além disso, você precisará enfrentar um dos maiores desafios da área de marketing: a rotatividade. 2. Contratar uma agência é mais barato Muitas empresas comparam o custo da remuneração de uma agência com o custo líquido do salário de um funcionário. Essa comparação é errada. Além dos encargos sociais, benefícios e 13º salário, um funcionário trabalhará apenas 11 meses ao ano. Enquanto uma agência tem uma equipe multidisciplinar com maior experiência que entregará resultados 12 meses por ano. Também, em uma equipe interna, a empresa é responsável pelas licenças dos softwares e ferramentas que...

Muitos gestores se perguntam diariamente como integrar o marketing digital com vendas. Embora os objetivos macros do Marketing Digital e de Vendas sejam os mesmos – aumentar o faturamento e a base de clientes – no dia a dia, as equipes trabalham com agendas bastante diferentes. Há muitas empresas em que esses dois times, por questões culturais, certamente quase nunca trabalham juntos. Em outras empresas, geralmente as que dão melhores resultados, são bastante unidos. Mas como integrar Marketing Digital e Vendas? A resposta é mais simples do que parece: leads. É nessa unidade em que as entregas do Marketing Digital para o time de Vendas devem se focar. Portanto, as estratégias, linguagem, formatos, tecnologia e demais meios utilizados é de responsabilidade das cabeças do Marketing Digital. Com os leads recebidos, cabe ao departamento de Vendas verificar se estão na quantidade e qualidade desejados e combinados com o Marketing Digital. Então, a partir daí, todo o atendimento e negociação até o fechamento deverá ser feito pela equipe de Vendas. Qual é o número certo de leads? O número ideal de leads vai depender da meta comercial de sua empresa. Para saber esse número, você precisa saber como funciona o seu funil de vendas. Para montar o seu funil,...