pixel facebook

Conhece o Google Trends? Confira 6 dicas para tirar o melhor proveito da ferramenta e produzir conteúdos mais assertivos para o seu site.

Conhece o Google Trends? Confira 6 dicas para tirar o melhor proveito da ferramenta e produzir conteúdos mais assertivos para o seu site

Conhece o Google Trends? Confira 6 dicas para tirar o melhor proveito da ferramenta e produzir conteúdos mais assertivos para o seu site.

Quem trabalha com marketing digital já sabe que o Google Trends é uma das melhores ferramentas para a definição de público-alvo, comparação de palavras-chave, verificação de métricas e até mesmo para descobrir qual é o assunto em que o brasileiro mais está interessado em tempo real. Um verdadeiro dedo duro digital!

Com certeza ele já foi usado em alguma estratégia da sua marca ou pelo menos você já ouviu falar sobre ele. Mas mesmo assim ainda pode não saber o quão vital essa ferramenta é para o dia a dia, principalmente para as publicações que são feitas com o objetivo de aumentar seu tráfego orgânico no buscador.

Resumindo, o Google Trends é capaz de verificar como o ser humano pensa quando realiza uma busca na internet — o que é fundamental saber para que possa adequar o seu conteúdo. Além disso, ele também dá insights sobre temas que você deveria estar explorando melhor, seja com conteúdo ou em formato de campanhas.

 

Atenção

Antes de mais nada, vamos lá: você precisa compreender o que o Google Trends está comparando. Estamos acostumados com o Planejador de palavras-chave do Google AdWords que nos traz indicadores como volume de palavras-chave, porém, o KPI do Trends é completamente outro.

O Trends foi criado para informar quais são os assuntos mais badalados da internet no momento. Basicamente, ele mede o interesse do público. Mas ele serve para muito mais que isso. Dessa forma, é útil não só para descobrir novos termos que estão sendo buscados, mas também para comparar palavras-chave pelo seu interesse ao longo do tempo.

Com uma escala própria que vai de 0 a 100, você pode comparar a quantidade de buscas, seus picos e sua popularidade ao longo do tempo. Tornando-se a ferramenta ideal para você entender não só o que as pessoas estão buscando, mas como elas estão buscando.

É importante destacar que, segundo o próprio Google, uma importante fatia das buscas diárias são compostas por palavras-chave de palavras e expressões inéditas.

Quer conhecer os melhores recursos do Google Trends? Fique com a gente e leia este artigo até o final! Vamos lá?

 

1. Matérias em Alta e Segmentação

Assim que se abre o Google Trends, visualizamos as matérias que estão em alta no momento. Ao clicar nelas, o Google exibirá um gráfico com o interesse de pesquisa ao longo das últimas horas entre os 3 últimos dias, assim como alguns artigos mais relevantes, as principais consultas, tópicos relacionados e interesses por sub-região.

Ainda na página inicial, é possível modificar esses temas por categorias. São elas:

  1. Ciência e Tecnologia
  2. Entretenimento
  3. Esportes
  4. Negócios
  5. Notícias
  6. Saúde

Também é possível filtrar pelos termos mais buscados em outros países, mas como  português é nosso idioma e é comum que nosso conteúdo seja voltado ao Brasil, esse recurso é usado mais como curiosidade do que utilidade.

2. Comparar termos pesquisados

Sem dúvidas, a possibilidade de se comparar termos diferentes para verificar seu interesse é um dos recursos mais interessantes do Google Trends. E é tão simples, basta digitar um ou até 5 termos na busca da página principal, separados por uma vírgula, e conferir seu interesse. Entrando na área Explorar: ttps://trends.google.com.br/trends/explore, você também consegue chegar a este recurso.

DICA: Filtre o resultado só por Brasil. O padrão de interesse inicial costuma mostrar “Todo o mundo”. Filtrando, você pode ver o resultado do interesse da palavra-chave por região e sub-região, além das consultas de palavras-chave relacionadas.

ATENÇÃO, OUTRA DICA: sempre compare as variações das palavras — singular, plural, possíveis sinônimos, uso ou não de acento, til, cedilha etc.

Um exemplo, no Brasil, ao colocar os termos smartphone, smartphones, celular e celulares, fica evidente como a palavra-chave celular tem um interesse muito superior.

 

3. Entender o interesse das pessoas

É preciso, mais do que comparar os termos e verificar os mais pesquisados, analisar os termos relacionados e compreender melhor os significados das palavras usadas pelas pessoas.

Por exemplo, será que quando uma pessoa com o intuito de compra busca por análises sobre o desempenho de um celular ela digita “review” ou “análise + aparelho”?

Neste exemplo que utilizamos, se você fizer um teste no Trends, consegue ver que o termo “análise” sozinho, sem o nome do aparelho, tem um interesse muito maior, porém também muito mais amplo e é utilizado nos mais variados contextos. Enquanto review, mesmo tendo menos interesse no Trends, possui uma conexão com análise de produtos muito mais assertiva.

 O grande trunfo de quem sabe trabalhar SEO pensando como usuário é justamente saber avaliar o real interesse das pessoas quando buscam por aquelas palavras-chave específicas. O que também pode ser interessante para você é pesquisar pela palavra-chave no próprio Google — com o intuito de ver os resultados exibidos (SERP) — e olhar lá no fim da página pelos termos sugeridos que o buscador indica.

Use e abuse desse recurso — mas com sabedoria!

 

4. Estude a sazonalidade

Uma ação importante que pode te ajudar a melhorar seus resultados é estudar os gráficos dos resultados de busca.

Ao verificar o intervalo de tempo no qual os termos entram em alta ou em baixa, você irá notar que algumas palavras-chave variam de acordo com semanas, meses ou até anos.

E é aí que está o pulo do gato: são justamente essas palavras que te possibilitam criar conteúdos com antecedência e se planejar com o intuito de se destacar e surfar ondas que ainda estão por vir.

Além disso, também é possível conferir o que foi mais pesquisado num país em anos anteriores ao acessar a área dedicada aos itens Mais Pesquisados: https://trends.google.com.br/trends/topcharts.

 

5. Veja o que está em alta no YouTube

Há quem defenda a ideia de que existem muitas pessoas que preferem fazer pesquisas sobre notícias e conteúdo no YouTube em vez do Google. Mas isso não é um problema para nós, no Google Trends, você consegue ver os vídeos mais buscados nas últimas 24 horas pela função “Em alta no YouTube”.

Dessa forma, é possível se manter antenado sobre temas importantes.

Mas, vale ressaltar que não se trata dos vídeos mais assistidos, e sim daqueles que foram mais digitados — mostrando um interesse do usuário em encontrar vídeos sobre o tema.

 

6. Inscrições

Para receber e-mails diários das principais pesquisas e dos itens mais pesquisados e se manter antenado sobre o que rola na internet, acesse a opção Inscrições: https://trends.google.com.br/trends/subscriptions, no Menu e assine com o seu e-mail.

Esta ferramenta é importante para quem deseja criar esse hábito sem correr o risco de se esquecer.

 

Ele não é tudo

É claro que você não pode depositar todas as suas fichas no Google Trends. No mercado, há ferramentas mais completas e mais adequadas para medir palavras-chave do que ele.

No entanto, é um excelente complemento para as pesquisas do dia a dia.

Ideal para comparar e calcular interesse por palavras-chave, ver resultados em tempo real e ajudar a entender como as pessoas pesquisam, recomendamos que você utilize o Google Trends junto do Planejador de palavras-chave do Google AdWords: https://adwords.google.com.br/KeywordPlanner, e outras ferramentas pagas caso você tenha orçamento.

Sua empresa investe em conteúdo para atrair clientes para o seu site? A WE3 Digital: https://we3online.com.br/ tem uma equipe de conteúdo que pode te ajudar nisso. Fale com a gente!