pixel facebook

Investir em anúncios online durante a pandemia de Covid-19?

Investir em anúncios online durante a pandemia de Covid-19?

Investir em anúncios online durante a pandemia de Covid-19?

Investir em anúncios online durante a pandemia da Covid-19 se tornou um desafio para as empresas. O vírus, seus impactos econômicos e sociais frearam investimentos em marketing digital. Por outro lado, com o isolamento, as pessoas passaram a ter mais tempo para consumir conteúdo online. O desejo de manterem-se conectadas e informadas aumentou muito o número de impressões sobre anúncios, especialmente via mobile.

Ao mesmo tempo, o custo por essas impressões diminuiu ao redor do mundo, justamente pelos menores investimentos. Isso quer dizer que houve uma queda no CPM, custo por mil impressões. Essa é a sigla para a métrica de desempenho relativa ao custo cobrado quando os anúncios são exibidos mil vezes. A boa notícia é que essa queda gerou oportunidades para que pequenas e médias empresas anunciem por custos mais baixos.

Primeiras semanas da pandemia de Covid-19: menos gastos com anúncios

Com o avanço da pandemia de Covid-19, muitas empresas deixaram de comunicar. Em 8 semanas de isolamento no Brasil, de meados de março a meados de maio, houve uma queda de 34% no número de anúncios. Muitas empresas consideravam que veicular campanhas naquele momento era arriscado para sua imagem. E essa postura, em parte, ainda persiste.

Contudo, no momento atual, a tendência seria aproveitar as oportunidades geradas por custos reduzidos e pela alta demanda de conteúdo, alcançando uma maior audiência. Segundo uma pesquisa Nielsen, as impressões globais via mobile aumentaram 32% na comparação do primeiro quarto de 2020 com o mesmo período de 2019. As impressões gerais aumentaram em 182% e as via computador diminuíram 9%. Esses números confirmam que a pandemia de Covid-19 acelerou tendências que já vinham sendo sentidas nos últimos anos.

Menor custo com anúncios e a demanda por mais conteúdo

A redução do CPM sugere que o momento é de se investir em novos anúncios, procurando por uma estratégia diferente, que condiz com o momento atual. Mas sempre reavaliando oportunidades e riscos. Da mesma maneira, outra oportunidade veio à tona com a pandemia de Covid-19: a demanda por mais conteúdo por parte dos usuários.

Depois da China ter implementado medidas restritivas, em janeiro, a média de downloads de aplicativos durante as duas primeiras semanas de fevereiro aumentou 40% em comparação ao mesmo período de 2019. Segundo dados do World Economic Forum, 96% da população consome conteúdo online e cada indivíduo gasta em média 23h e 10 min por semana com isso. Quer dizer, a audiência tem crescido e alcançá-la tornou-se mais fácil.

Segundo outra pesquisa Nielsen, o isolamento pode levar a um aumento de quase 60% na quantidade de mídia consumida globalmente. Esse índice varia de país para país, de acordo com seu estágio de resposta à Covid-19. Mas uma coisa é certa: o tempo gasto consumindo conteúdo e anúncios online aumenta conforme o cotidiano das pessoas ainda é em grande parte passado dentro de casa, como ainda é o caso do Brasil.