Marketing Digital - 8 erros que sua empresa não deve cometer - WE3 - Agência Marketing Digital Curitiba
15794
post-template-default,single,single-post,postid-15794,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Marketing Digital – 8 erros que sua empresa não deve cometer

Marketing Digital - 8 erros que sua empresa não deve cometer

Marketing Digital – 8 erros que sua empresa não deve cometer

No Brasil, já são 120 milhões de pessoas utilizando a internet regularmente, obtendo o quarto lugar no ranking mundial* de usuários de Internet, atrás apenas dos Estados Unidos (242 milhões), Índia (333 milhões) e China (705 milhões). Além disso, 46 milhões de brasileiros só acessam a Internet pelo celular. As empresas devem aproveitar esse cenário positivo e realizar ações para captar leads, entender seu público-alvo, promover vendas e estreitar o relacionamento com seus clientes. Para obter bons resultados é preciso investir no marketing e manter-se atualizado às novas tendências do mercado. Afinal, ações de marketing erradas consomem tempo e dinheiro. Listamos alguns erros comuns que empresas cometem quando o assunto é marketing digital.

1º – Não conhecer seu público-alvo

Esse é um assunto recorrente aqui no Blog. Conhecer seu público-alvo é fundamental para garantir o sucesso das suas campanhas digitais. Você deve saber suas necessidades, desejos, comportamentos e hábitos de consumo. E como você consegue isso? Pesquisando, acompanhando a jornada de compra do consumidor e criando relacionamento. Todos os dados coletados podem ser usados para tomada de decisões de importantes ações em redes sociais, e-mails, campanhas e parcerias. Não conhecer seu público-alvo pode ser um dos principais (se não o principal) motivo para as empresas não gerarem leads.

2º – Não fazer um planejamento digital

Estar presente na Internet vai além de ter um site e perfil nas redes sociais. O bom plano de marketing digital envolve as metas, o perfil da empresa e do público-alvo, previsões de pauta, estratégias, investimentos, análise de concorrência e projeções de resultados. Marketing é planejamento contínuo, com foco nas necessidades e objetivos da empresa.

3º – Não responder comentários

Sem sombra de dúvidas a melhor venda é aquela que surpreende o cliente e o deixa encantado a ponto de indicar sua marca para outras pessoas. E não existe “fórmula mágica” para isso. Tenha uma equipe dentro da empresa responsável por fazer o relacionamento com seu cliente, do primeiro contato ao pós-vendas. E-mails, telefone, formulários de contato, fóruns e redes sociais, todos os canais devem ter a mesma linguagem e tom de voz. As pessoas tendem a confiar menos em empresas que não respondem dúvidas ou comentários.

4º – Não atualizar seu site

O site é a porta de entrada para conhecer sua empresa, seus propósitos e valores, obter informações e adquirir produtos ou serviços. É importante que ele esteja sempre atualizado, tenha um layout funcional, seja responsivo para os diversos dispositivos (computador, tablet e smartphone) e, principalmente, seja fácil de navegar.

5º – Focar apenas no Facebook

Está certo que o Facebook é a maior rede social do mundo e só o Brasil representa 102 milhões de acessos por mês, sendo 93 milhões feitos via dispositivos móveis. Mas não limite seus trabalhos somente ao Facebook, pois nem sempre esse é o canal mais indicado para o seu negócio. As mídias sociais podem ser usadas em conjunto para atrair mais clientes, criar relacionamento e alavancar suas vendas. No Pinterest, por exemplo, você pode criar álbuns com suas coleções, inspirar e criar o desejo de compra. No Blog você pode contar os detalhes de como as coleções foram pensadas, falar sobre os ensaios e compartilhar fotos. Por que não fazer a cobertura dos ensaios pelo Instagram? Você cria expectativa para a próxima publicação.

6º – Não se adaptar às mudanças do mercado

Toda empresa deve investir continuamente em tecnologia e manter seus funcionários capacitados para oferecer a melhor experiência para os seus clientes. A cada dia novos produtos surgem no mercado, assim como redes sociais, influenciadores lançam tendências e vídeos viralizam rapidamente. Por isso, é importante estar cada vez mais atento as oportunidades e pensar em estratégias para manter seu negócio presente e ativo.

7º – Não investir em campanhas digitais

Estamos na era do imediatismo. As pessoas têm mais conhecimento, mas em contrapartida possuem menos tempo, disponibilidade e paciência para procurar produtos e serviços. As campanhas digitais atraem visibilidade para a marca, conquistam novos fãs e geram conversões. Para cada segmento e estágio do Marketing Digital existe um tipo mais adequado de investimento. O Facebook, por exemplo, entrega cerca de 1% das publicações de forma orgânica para os usuários, ou seja, invista em campanhas segmentadas por público para atingir mais pessoas. O remarketing também é um importante recurso do Marketing Digital, uma vez que, segundo o Google Adwords, apenas 3% dos visitantes de um e-commerce fazem a conversão na primeira visita. Saiba mais aqui.

8º – Não investir em Inbound Marketing

O Inbound Marketing está baseado na premissa de criar conteúdos relevantes para atrair voluntariamente o interesse do seu potencial cliente. Ele também ajuda a tornar sua empresa referência no mercado em que atua e mantém um relacionamento mais próximo com seu lead nas etapas da jornada de compra. Você pode fazer isso através de publicações em blogs, e-books, vídeos, fóruns, e-mails, SEO e mídias sociais. Todas as ações de Inbound Marketing podem ser mensuradas para saber quantas pessoas visualizaram, converteram ou compraram em suas campanhas digitais.

Infelizmente (ou felizmente) a vida não é feita só de acertos. Toda empresa que trabalha com Marketing Digital está sujeita a erros, e eles devem ser encarados como possibilidades de melhorias. Sempre dizemos por aqui que ter conhecimento do impacto dos erros é meio caminho andado para tomar decisões mais assertivas para o seu negócio.

*Segundo divulgado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD)