pixel facebook

Comportamento do Consumidor Tag

Durante a pandemia, os consumidores passaram a utilizar aplicativos ainda mais. Para se ter uma ideia, só no primeiro trimestre de 2020, o tempo médio passado em apps teve um aumento de 20% em comparação ao mesmo período de 2019. As pessoas recorrem a eles procurando se manterem saudáveis, produtivas, informadas e conectadas. Assim, não há dúvidas de que aplicativos têm feito a diferença para que enfrentemos o dia a dia desta fase complicada. Aplicativos e uma nova estratégia Essa mudança de comportamento dos consumidores fez com que empresas e marcas adaptassem suas estratégias. Algumas vezes, até seus modelos de negócio. Tudo para que seus aplicativos fossem assertivos em entregar aquilo que os usuários estão precisando. E essas novas estratégias têm dado certo. Mais de 1 em cada 3 consumidores passou a usar uma nova empresa ou marca por conta da maneira inovadora ou solidária que ela respondeu à pandemia. Por isso, a forma como uma empresa ou marca se posiciona diante do cenário atual influencia muito na decisão de compra. Essa é uma variável importantíssima, já que neste momento lidamos com consumidores cada vez mais cuidadosos na hora de fechar negócio. Mais do que nunca, uma marca deve ser humana, solidária e...

As incertezas geradas pela pandemia de Covid-19 exigem estratégias. Por isso, devemos nos perguntar sobre o que vem depois. Neste texto, apresentamos 3 horizontes possíveis para que empresas e marcas possam delinear suas ações. Eles são resultado de pesquisas e projeções da Nielsen. Suas hipóteses partiram de dados sobre o comportamento do consumidor europeu e foram aplicadas nos mercados da China e Coreia do Sul. Isso porque esses países estão mais avançados no cronograma da pandemia, saíram há algum tempo do isolamento e já vivem o chamado “novo normal”. O novo comportamento do consumidor é a chave para projetar horizontes Justamente com o intuito de projetar horizontes, muitos analistas acabam estabelecendo comparações do momento atual com as consequências da crise financeira de 2008. Porém, as duas situações são muito diferentes. Em 2008, não havia milhares de pessoas morrendo diariamente, milhões trancadas em casa indefinidamente e negócios não eram obrigados a fechar suas portas. Por isso, a pesquisa ressalta que o novo comportamento do consumidor é a chave para projetar o que acontecerá com os mercados depois da pandemia de Covid-19. Agora, o mundo está sendo recalibrado e os hábitos de consumo estão acompanhando esse ritmo acelerado de mudanças. Transformações que, em condições normais,...

Ficar em casa por conta da Covid-19 transformou o comportamento do consumidor. Este momento de quarentena não é algo definido, assim como o que virá depois. Dessa forma, vivemos uma fase de grandes incertezas, já que não sabemos o que acontecerá amanhã. Nestas condições, a capacidade de adaptação torna-se nosso maior trunfo. E esse lema serve também para o marketing das empresas e marcas. O consumidor e sua nova fase Vamos partir de uma visão mais ampla sobre o que, em geral, acontece com o comportamento das pessoas em isolamento social. Com a diminuição das atividades fora de casa, o tempo que era escasso se tornou mais fluido. Passamos mais tempo sozinhos, com nossa família ou dentro de nossas cabeças. Isso dá margem para sentimentos como o tédio, a ansiedade e a incerteza inerente ao momento. Por isso, sentimos necessidade de buscar mais formas de nos mantermos ocupados. Pelos dados de pesquisas Google durante a pandemia, podemos dizer que temos tentado nos adaptar à situação por meio de informações sobre: - A Covid-19 e suas implicações à saúde e ao dia a dia. - Mudanças no trabalho e na economia. - Bem-estar e conexões com a comunidade. - Segurança financeira e renda extra. - Aprendizado e cursos online. -...